Green Day – Revolution Radio

Banner RnH

Depois de uma trilogia de álbuns desinspirada em que se demarcaram do Pop Punk que ajudaram a cunhar (em duas gerações diferentes, primeiro com Dookie e 10 anos depois com American Idiot) e abraçaram o seu amor pelo Rock clássico, os Green Day decidiram voltar às raízes no novo Revolution Radio, aproveitando a instabilidade na sociedade americana para de novo pautar um tom político no seu disco.

“Bang Bang”, single de estreia do CD, é tudo o que uma música destes veteranos Punk deve ser, é madura e directa, com espírito Punk e muita energia, bem como uma mensagem clara contra os media (“Bang bang/give me fame/shoot me up to entertain“) marca o passo para o que prometia ser um disco bombástico ao nível de American Idiot.

No entanto, “Somewhere New” abre o disco de forma cansada e é impossível não notar as semelhanças com “Song of the Century” de 21st Century Breakdown, em que os Green Day começaram a soar como se os Queen se tivessem misturado com os Clash, mas infelizmente de forma mais pálida.

É no entanto este o sentimento que passa pela maioria das faixas, com mensagens vagas de revolução ‘limpas’ por power ballads movidas a piano e acordes maiores que a vida (“Outlaws” é tão épica quanto baça e “Youngblood” é uma paródia involuntária ao clássico “She’s a Rebel”). Quando metem os pés no pedal de distorção, ainda assim, os músicos privilegiam o som genérico do Pop Punk de uns All Time Low em músicas sem qualquer personalidade como “Still Breathing” ou o feel good inconsequente de “Bouncing Off The Walls”, havendo no entanto salvação na emoção explosiva de “Troubled Times”.

flirt com os Rolling Stones continua presente na fantasticamente militante “Say Goodbye”, mas o melhor momento do disco vai mesmo para a épica “Forever Now”, que deveria ter encerrado em grande o álbum em vez da insonsa “Ordinary World” que tenta mais uma vez reviver “Time of Your Life”, mas sem sucesso.

Desta forma, é bom ver os Green Day voltarem ao que sabem fazer melhor, que é entregar um disco directo de Pop Punk movido por temáticas políticas, mas não podemos deixar de pensar que a banda recorre a auto-imitação para tentar esconder algum cansaço e desinspiração em demasia.

Green Day – Revolution Radio

6.2
Green Day - Revolution Radio