free website stats program

Norma Jean – Polar Similar

Polar Similar marca o primeiro disco dos Norma Jean sem qualquer membro original, depois da partida pouco amigável do guitarrista Chris Day, embora o vocalista Cory Brandan Putman já esteja na banda desde 2004 e em todos os álbuns menos na estreia, assumindo-se naturalmente como o líder do conjunto.

A banda americana tem vindo a experimentar com o seu som desde Redeemer, de 2006, em que começaram a largar o espectro para lá do seu Metalcore fundido com Mathcore que ia marcando o seu percurso até lá. O resultado foi um som que continua inegavelmente pesado, mas com traços melódicos cada vez mais acentuados, tornando a trilogia The Anti Mother/Meridional/Wrongdoers num conjunto de discos irrepreensível (sobretudo o último, de 2013) e cujo ecletismo está patente também no novo CD, que consegue transcender tudo o que o conjunto já fez e mostra que o Metalcore quando bem feito, tem um lugar perfeitamente merecido no panteão da música pesada.

Este ‘casamento’ de sons está perfeitamente marcado no single de lançamento de Polar Similar, “1,000,000 Watts”, que combina a agressividade típica dos Norma Jean com um ambiente que puxa muito ao Metal Industrial de uns Nine Inch Nails, desde o seu refrão negro aos teclados que encerram discretamente a faixa em grande estilo.

Sendo um álbum conceptual sobre a insegurança que se vive actualmente na nossa sociedade, a palete de temáticas é transversal nas músicas e reflecte um desconforto e claustrofobia (acentuados na perfeição pelos curtos interlúdios perfeitamente empregues ao longo do disco) a adicionar mais camadas à fúria pessimista dos Norma Jean em letras que, no entanto, nunca deixam de ser pessoais (desde o conformismo nihilista da espacial “Forever Hurtling Towards Andromeda” ao fim da relação amargo na excelente “An Ocean of War”).

A sonoridade da banda atinge um novo limite em Polar Similar, estreando novas influências, desde o tributo a Lemmy que funde o seu Mathcore com Punk incisivo na acelerada “Everyone Talking Over Everyone Else” até ao negrume envolto em Post-Punk de “Reaction”, música mais acessível talvez de sempre dos Norma Jean que a espaços parece que os Joy Division e os The Cure se juntaram para perceber que gostavam de Slayer.

No entanto, como tem sido a tornar-se hábito nos álbuns da banda, a faixa final merece todos os elogios e mais alguns, com “IV. The Nexus” a tornar-se numa autêntica viagem de emoções que mostra os músicos na sua pele mais agressiva, mais frágil, mais sensível e mais auto-destructiva ao longo de 10 minutos que poderiam nunca se esgotar enquanto ouvimos a voz derrotada de Putman cantar “The whole world is wounded/While you stand around/And heal like an angel“.

Desta forma, já nos acostumámos a dizer que cada novo lançamento dos Norma Jean é o seu melhor de sempre e Polar Similar não é excepção. Embora não seja o maior salto que já deram em termos de sonoridade (esse marco continua a pertencer ao incompreendido Meridional), o novo disco solidifica o seu som típico à medida que explora novas sonoridade e atinge o equilíbrio perfeito entre peso e melodia. Não só o melhor disco da banda, mas um dos melhores do ano e uma mostra exemplar do que o Metalcore tem para oferecer actualmente.