Membros dos Pantera debatem “Vulgar Display of Power” 25 anos depois do seu lançamento

Banner RnH

No sábado passado (25 de fevereiro), “Vulgar Display of Power” dos Pantera celebrou 25 anos. Este álbum é considerado um dos discos de metal mais influentes da década de 90 e, segundo a publicação Loudwire, um dos álbuns definidores do género.

Para comemorar o aniversário de “Vulgar Display of Power”, os três membros sobreviventes da banda, Phil Anselmo (vocalista), Rex Brown (baixista) e Vinnie Paul (baterista), reuniram-se para debater a criação deste registo, o impacto do mesmo e a controvérsia da capa do álbum.

No vídeo em baixo, Phil Anselmo começa por falar sobre as dificuldades que o grupo enfrentou no início da carreira, o que não os demoveu, porém, de continuar a tentar marcar a sua presença na cena musical. Brown lembrou pormenorizadamente a digressão “Cowboys From Hell” de 1991 e a ânsia de voltar ao estúdio depois da tour com o produtor Terry Date. Adicionalmente,  Vinnie Paul explicou o quanto a banda estava focada e determinada em gravar o novo disco.

O trajeto até “Vulgar Display of Power” não foi fácil para os Pantera. Este foi o sexto álbum da banda, que tinha alcançado pouco reconhecimento  até gravarem “Cowboys From Hell” (1990). Antes do lançamento do último, passaram também por mudanças internas, com a adição do novo vocalista, Phil Anselmo que se veio juntar aos fundadores do grupo norte-americano: Dimebag Darrell, Vinnie Paul e Rex Brown. A sonoridade pesada e agressiva do disco revolucionou a cena de heavy metal dos anos 90, e catapultou o grupo para a fama.

Neste disco, os Pantera substituíram os falsettos de power metal dos primeiros tempos por riffs de guitarra mais pesados, consolidado pela fúria que Anselmo empregava às suas interpretações. Músicas como “Mouth of War”, “Walk” e “Fucking Hostile” tornaram-se hinos conhecidos do género e as baladas “This Love”, dedicada a temas de luxúria e abuso, e “Hollow” impressionaram os fãs.

Na biografia oficial da banda, Official Truth, 101 Proof: The Inside Story of Pantera (2013), Rex Brown conta como os Pantera foram influenciados pelo “Black Album” (1991) dos Metallica e descreveu o processo de criação do álbum: «às vezes sentávamo-nos no estúdio até às 4h da manhã, apenas a dar ideias diferentes».

Após completarem o registo, os Pantera foram para a estrada com Skid Row na tourSlave to the Grind”. Os vídeos de “Mouth Of War” e “Walk” começaram a ser transmitidos na televisão e a banda continuou em digressões com os grandes nomes como Megadeth, White Zombie e Soundgarden.

Ainda na biografia, Brown escreveu que «pode parecer um cliché, mas havia algo de mágico quando estávamos a gravar ‘Vulgar’ e nós nunca mais tocámos e nos demos tão bem como naquele período».

Após “Vulgar Display of Power”, os Pantera apresentaram o também  bem-sucedido “Far Beyond Driven” (1994), no qual conseguiram uma nomeação para “Best Metal Performance” dos Grammy Awards com “I’m Broken”.

 Depois veio “The Great Southern Trendkill” (1996) e o que viria a ser o último disco do grupo, “Reinventing the Steel (2000)”. As relações entre os membros da banda começaram a deteriorar-se, acabando por levar a períodos inativos e, por fim, à separação da banda em 2000. A seguir, a tragédia atingiu os membros da banda com o assassinato de Dimebag Darrell em Ohio, EUA (2004) durante a apresentação da sua nova banda, Damageplan, com o seu irmão Vinnie Paul.