free website stats program

Guano Apes [Janeiro 2012]

O reencontro dos Guano Apes com o público português estava marcado para novembro de 2011, mas uma lesão vitimou a vocalista levando ao cancelamento dos concertos. Ultrapassado o problema, a banda alemã regressa a Portugal já no próximo mês, para promover “Bel Air”, que dizem ser mais leve que os trabalhos anteriores. Com alguma descontração à mistura, Sandra Nasic fala do álbum e recorda as passagens do grupo pelo nosso país.

Passaram oito anos desde “Walking On a Thin Line”. Em 2010 os Guano Apes regressaram com “Bel Air”. Quais as diferenças deste álbum em relação aos anteriores?
Este álbum soa mais leve e os temas estão mais orientados. Não queríamos copiar o que fizemos anteriormente, pois isso seria aborrecido para nós. Mantivemos a mesma energia, mas deixamos os temas respirar. Aliás, esta é também a razão pela qual escolhemos o título “Bel Air”, retirado de “Oh What A Night”.

Como decorreu a produção de “Bel Air”?
Trabalhamos em conjunto, mas também em separado para combinarmos as nossas ideias mais tarde. As minhas letras estavam quase concluídas, quando me juntei à banda em Hamburgo, onde nos concentramos todos com o nosso produtor, John Schuman. Ele deu-nos um ponto de vista diferente em alguns temas. Após termos finalizado a produção, eu fui para estúdio gravar e ficamos mesmo contentes com o resultado. Depois trabalhamos com outros técnicos dos EUA, que também fizeram um ótimo trabalho.

O novo álbum tem sido bem recebido pelos fãs?
Sim. Quando olho para o público nos nossos concertos, vejo muitas caras sorridentes. Penso que até agora a tour tem corrido muito bem. Estou surpreendida com a reação da audiência, mas verdade seja dita: não podemos agradar a todos.

Durante algum tempo os Guano Apes estiveram separados. O que vos trouxe de volta à música?
O nosso baixista Stefan estava muito aborrecido. Por isso fartou-se de chatear todos os elementos da banda, até nos reunirmos novamente.

A vossa banda é reconhecida um pouco por toda a parte. O que falta ainda alcançar?
Tem mais a ver com dar o nosso melhor. Mas deixa-me pensar: eu também gostaria de estudar ciência, ou tirar a licença de piloto e navegar num velho navio carregado de garrafas de vinho tinto por abrir.

Os Guano Apes e os Scorpions são provavelmente as duas bandas alemãs mais famosas. Quer sugerir mais algum grupo proveniente da Alemanha?
Sim, pois há imensas bandas alemãs com qualidade. Por exemplo: Peter Fox, Beatsteaks, Deichkind, Bonaparte, Mia, entre outras.

Já tocaram diversas vezes em Portugal. Guarda alguma recordação especial desses concertos?
Sim, bastantes! Há sempre um sentimento especial quando tocamos perante os fãs portugueses. Gostamos particularmente de atuar no Coliseu e nas Festas Académicas (onde nos surpreenderam com algumas ações flashmob).

Devido à sua lesão, as datas dos concertos em Lisboa e no Porto foram adiadas para fevereiro. Está ansiosa pelo reencontro com o público português?
Sim e felizmente a minha lesão está curada. Tenho de aquecer a voz antes de entrar em palco, por vezes esqueço-me que atuar é como praticar desporto.