free website stats program

GOLD [Fevereiro 2013]

Os GOLD são uma das bandas mais recentes do panorama musical holandês e lançaram, em 2012, o álbum de estreia ‘Interbellum’, via Ván Records. Agora, a Rock n’Heavy conversa com a banda para sabermos um pouco mais acerca deste universo musical. No núcleo deste quinteto encontramos Thomas Sciarone (ex-The Devil’s Blood) e a belíssima e talentosa cantora Milena Eva.

Como é que vocês se encontraram e decidiram formar os GOLD?
Thomas: Eu e a Milena começamos a sonhar com a formação de uma banda nossa, por volta de 2010. Alguns meses depois de eu sair dos The Devil’s Blood, as coisas tornaram-se mais sérias e nasceu a ideia dos GOLD. A maioria dos elementos da banda já se conhece há anos e é fantástico fazermos música todos juntos.

Por quê “GOLD”? E por quê “Interbellum”?
Thomas: A honestidade, pureza e a conotação positiva do ouro adapta-se perfeitamente ao carácter da banda. Preferimos escrever o nome em maiúsculas, porque achamos mais estético e assim distingue-nos de outras bandas com o mesmo nome.
Interbellum é a designação do período compreendido entre 2 guerras (mundiais). Descreve um mundo envolto num tempo de crise e instabilidade, exactamente como aquele em que estamos a viver actualmente. Esse é o tema basilar do álbum.

O álbum de estreia “Interbellum” foi lançado a 7 de dezembro. Essa data tem alguma conotação especial para a banda?
Thomas: É especial apenas por esse motivo. O lançamento de “Interbellum” é, até ao momento, a data mais significativa da nossa curta existência.

“Interbellum” foi gravado na Amsterdam Recording Company, como foi essa experiência?
Thomas: A Amsterdam Recording Company é simplesmente fenomenal. É uma das pedras preciosas escondidas nos meandros do negócio holandês das gravações e temos a certeza que será apenas uma questão de tempo até que se torne num fenómeno à escala mundial. Graças ao equipamento topo de gama e à estrutura montada é um estúdio perfeito para uma banda como os GOLD. Foi lá que passamos uma boa parte do nosso verão e estamos ansiosos por voltar.

O álbum é bastante enérgico, mas ao mesmo tempo a vossa música tem um lado mais melódico e suave. Como definem o vosso estilo musical?
Thomas: É apenas rock. Na nossa opinião, o rock faz a ponte entre o hard e o heavy de um lado e a pop do outro.

A Milena tem uma voz excepcional (logo esta questão vai para ela). Milena, qual é o teu historial como cantora? Será que no teu caso corresponde a um talento natural?
Milena: Eu sempre fiz parte de bandas (com influências folk, blues e rock), mas sobretudo como violoncelista e a fazer segunda voz. Depois de anos a fazer isso, senti o desejo de mostrar ao mundo o meu outro lado, que é muito mais agressivo e ruidoso. GOLD é o primeiro projecto em que realmente coloquei todo o meu coração e no qual posso deixar o meu lado mais maquiavélico à solta pelo mundo.

“One of us” foi filmado “numa tarde soturna de outono” no vosso local de ensaio. Como surgiu essa ideia para o vídeo? Podias dar-nos mais detalhes acerca da filmagem?
Thomas: O vídeo foi gravado em algumas horas no nosso local de ensaio. Não procuramos fazer algo particularmente especial, só queríamos um suporte visual bom e barato para a canção. Depois disso lançamos o primeiro vídeo oficial para “Antebellum” que oferece uma experiência visual bem mais interessante.

O concerto inaugural dos GOLD, que também serviu como apresentação para “Interbellum”, ocorreu a 8 de dezembro de 2012 (Rotown, Amesterdão). Como correu? Será que podiam partilhar connosco os vossos sentimentos naquela noite e a forma como a audiência reagiu às vossas músicas?
Thomas: Foi um evento especial. Trabalhamos tanto neste álbum e há muito que estávamos ansiosos por tocar as músicas ao vivo. Ver o Rotown a abarrotar, com mais de 200 pessoas, foi simplesmente incrível.

Os GOLD têm andado ocupados com a divulgação de “Interbellum”, será que existem planos para uma digressão europeia? Não estará no horizonte uma vinda a Portugal?
Thomas: Mal podemos esperar por tocar para o maior número de pessoas que for possível. Temos já agendadas algumas datas na Alemanha para março e temos esperança que surgirão muitas outras datas. Neste preciso momento estamos a investigar a possibilidade de, mais tarde, visitarmos Portugal ainda durante este ano!

Algo mais que gostariam de partilhar connosco?
Thomas: Aproveitem a vida, tenham sempre uma mente aberta e nunca deixem de ser “gold”?