free website stats program

A primeira vez que a música clássica se juntou ao Rock

A primeira vez que a música clássica se juntou ao Rock – Yesterday / She’s Leaving Home / All you Need is Love / A Day in The Life

georgemartin_george

O Álbum termina com A Day in The Life: canção com três partes, A-B-A, em que as partes A são uma música do John e a parte B é uma música do Paul. Decidiram unir duas músicas completamente diferentes; a forma que encontraram para fazê-lo foi pedir aos músicos da orquestra que começassem a tocar a nota mais grave dos seus instrumentos e que, sem tentarem seguir o colega do lado, fossem subindo na escala até o George Martin lhes dar a indicação de pararem.

Isto não foi ensaiado ou testado, os músicos apenas fizeram aquilo que lhes foi pedido, o que em termos de processo de composição musical também é vanguardista; e manteve-se o som do despertador, que inicialmente se usou para ser um indicador para os músicos de quando é que a segunda parte (B) da música começaria, mas que acabou por encaixar na perfeição com a letra do Paul: “woke up, fell outta bed, dragged a comb across my hair”.

A música termina com um acorde de 3 pianos a tocar em simultâneo. O som é comprimido em estúdio e é por essa razão que o acorde se prolonga durante muito e muito tempo, algo que seria impossível num ambiente acústico normal. Depois de uns minutos com este som residual, quando a agulha chega mesmo ao centro do disco, ouve-se os Beatles a fazerem sons e vozes estranhos, quase como que a dispersar a seriedade de uma música como a A Day in The Life (os Beatles sempre se esforçaram por não se levarem demasiado a sério). Quando esta parte da música é tocada de trás para a frente, eles parecem dizer “Will Paul return as Superman?”..

A entrada da All You Need is Love (marcha nupcial) é a 1812 Overture Pyotr Ilyich (Tchaikovsky)


Texo por: Catarina Reis