free website stats program

A Revolução Electrónica dos Enter Shikari [por Jorge Martins]

Os Enter Shikari, oriundos da Grã-Bretanha, originaram uma autêntica revolução quer na música de dança, quer no Metal, misturando ambos os géneros no chamado Electronicore, que aproveitando a boleia do sucesso gerado por Skrillex se conseguiu estabelecer na música mainstream.

Conhecidos pelo seu ecletismo e mensagens sociais incisivas na música que fazem, os músicos liderados por Rou Reynolds lançaram este ano The Mindsweep, para grande aclamação, portanto decidimos aproveitar essa ocasião para celebrar esta banda e contar as melhores músicas dos Enter Shikari.

10. Radiate

A música que serviu de prelúdio a The Mindsweep, lançada em 2013, é um monumento de homenagem à liberdade de expressão e mistura sintetizadores atrevidos com ritmos de Metalcore que impedem o corpo de ficar quieto.

“To take away our expression/ Is to impoverise our existence”

9. System…Meltdown

A faixa dupla que abre A Flash Flood of Colour, álbum de consagração para a banda em 2012 que os viu a tomar uma posição mais política que anteriormente é um portento de música electrónica/de rave, com mais ênfase em loops do que Rock e assente num rap de Reynolds que desemboca num dos melhores refrões da banda.

“This is gonna change everything”

8. Wall

Presente no desequilibrado Common Dreads, segundo álbum de 2009, “Wall” é uma faixa que, mesmo sem ser da fase mais política da banda, mostra já um desconforto muito notório na letra, enquanto que os sintetizadores combinados com riffs demolidores de guitarra aplicam a fórmula de sucesso dos Enter Shikari.

“You can’t keep us inside much longer pal/We’ve seen the view from the window”

7. Anything Can Happen In The Next Half An Hour

Saída da excitante estreia Take To The Skies, de 2007, esta faixa mostra uma abordagem refrescante do conjunto nas suas mensagens, com uma letra mais pessoal que o normal e um som mais focado no Metalcore convencional que, combinado com a angústia nos vocais de Reynolds, assenta à banda como uma luva.

“Their only connection/Is the silence they both grasp/He’s los control/But she’s unaware of his stare”

6. Hectic

Proveniente do “difícil” Common Dreads, “Hectic” é uma música furiosa que grita libertação juvenil numa letra encantadoramente ingénua de Reynolds, “servida” com melodias dignas de uma Rave adolescente e num tom optimista que raramente vemos na banda, mas que não lhes fica mal.

“Oh if I could kidnap that feeling/The one that melts all fears from your mind/I’d make no demands, no ransoms/’Cause I’d never set it free”

5. Quelle Surprise

Na “ressaca” do sucesso de A Flash Flood of Colour, os Enter Shikari lançaram “Quelle Surprise”, onde apregoam os seus típicos gritos de guerra através de um refrão viciante e vocais inflamados de Reynolds que parecem ter sido feitos para apoiar multidões em protesto pelo mundo fora.

“We’re aware they’re trying to take away our dreams”

4. Ok, Time For Plan B

Vinda da estreia de 2007, esta música mostra um momento raro nesse momento da carreira dos britânicos em que já mostram um lado mais socialmente activo nas letras, ainda apoiadas num som mais convencional do Metalcore, mas já com “rasgos” de electrónica que soam absolutamente imperdíveis, combinando a faceta da altura dos Enter Shikari com o que seriam no futuro.

“Look what you’ve done to yourself/Yeah, you’ve lost the will to do what’s right again”

3.Anaesthetist

Proveniente do aclamado The Mindsweep, editado há umas semanas, “Anaesthetist” mostra os Enter Shikari com um som mais maduro, assente num loop contagiante, sem perder o peso do Metal que lhes deu origem e com uma letra a protestar contra a privatização dos sistemas de saúde que os torna tão relevantes actualmente como há 10 anos.

“You will not profit off our health”

2. Warm Smiles Do Not Make You Welcome Here

Do consagrado A Flash Flood of Colour vieram muitas músicas que marcaram o início da década, bem como a música pesada, mas poucas como esta faixa, que combina os melhores riffs de guitarra dos Enter Shikari com sequências de Transe hipnotizantes e alguns dos momentos mais inspirados de Reynolds nos vocais.

“Lightning strikes/A flash flood of colour/I can’t stand the heat”

1. Sorry You’re Not A Winner

Porque é que Take To The Skies é um dos melhores álbuns de estreia de sempre? Porque tem o suficiente de inovação, apelo e ganchos melódicos para se diferenciar do restante e tudo isto é visível em “Sorry You’re Not a Winner”, que tanto dispara riffs de Metal sem misericórdia, como acrescenta texturas às melodias com sintetizadores meticulosos, apresentando ao mundo a grande banda que são os Enter Shikari.

“Please try again/Insert your coin”