free website stats program

Altar Of Pain – Severe Scourge

Em agosto de 2011, a banda surpreendeu com a iniciação ritualística traduzida no álbum “The Ritual has Begun”, explorando de forma segura e desenvolta os meandros do death metal crivado por fogachos thrash e black. Decorridos alguns meses, os Altar of Pain voltam à carga com este EP, “Severe Scourge”, confirmando a premissa de que a banda ainda tem muito para dizer no âmbito das sonoridades mais extremas com chancela nacional.

Acusando, por vezes, a falta de algum refinamento ao nível da produção, isto não invalida, no entanto, o fato de estarmos perante um trabalho com uma dose considerável de mestria e complexidade em termos da composição.

“Death By Exanguination” dá o mote programático para o EP. Música envolta em ondas de choque debitadas por Zé Rodrigues e conduzida por um trabalho cativante de Elder Abreu na voz, particularmente pela forma como o vocalista procura diversificar a tonalidade de registos, introduzindo estrídulos dissonantes em relação ao predomínio cavado do growl.

Em “Fatal Disease” há espaço para cada elemento da banda explorar o seu próprio caminho, visto que o tema cresce em torno das dissonâncias estabelecidas entre bateria, guitarras e voz.

“The Fleshless Goddess” entroniza os sons mais crus, cavos, soturnos e cadavéricos. Ritmos psicóticos, ondas sucessivas de rajadas elétricas metralhando os ouvidos, vocalizações oscilantes entre o ríspido, o demoníaco e o rouco gutural, todos estes elementos conjugando-se para criar um tema verdadeiramente intenso.

“Infected”, com solos langorosos e melódicos, inscreve novas cambiantes neste universo musical, sem, no entanto, divergir do eixo central de peso e brutalidade.

“Organic Pathogen” oferece alguns dos melhores growls de “Severe Scourge”, acompanhados por um bom trabalho ao nível da secção rítmica e um solo de fino recorte, com unhas de Carlos Rodrigues.

“Scriptorium” evolui em crescendo, partindo de um ritmo arrastado e opressivo, mas rapidamente ganhando intensidade, reconfigurando-se, a cada momento, como se a música se transformasse numa avalanche sonora. Atingido o ponto de equilíbrio, a introdução dos solos cria novos matizes e a música ganha em organicidade.

O epílogo cabe ao instrumental ”Void Dimension” que mais não faz do que comprovar a mestria dos executantes, criando momentos que oscilam entre explosão elétrica e a inflexão atmosférica e melódica.

“Severe Scourge” confirma o calibre da veia criativa dos “Altar of Pain”, sendo a demonstração cabal de uma vontade indómita de singrar no universo do metal extremo. Ainda que sem o condão de nos surpreender, porque o trabalho anterior confirmou a qualidade da banda, os “Altar of Pain” cravam nova lança no panorama nacional e mostram vigor criativo para, no futuro próximo, nos presentearem com um novo disco de maior fôlego.

Texto por Rui Carneiro