free website stats program

Biffy Clyro – Similarities

Depois de um excelente Opposites que os consagrou como uma das maiores bandas de rock actual, os Biffy Clyro decidiram aproveitar a onda (e manter assim as edições a intervalos de tempo regulares) e lançaram Similarities (perdoe-se-lhes o trocadilho), constituído por B-Sides do último álbum e um tema inédito.

Desta forma, sem surpresas, a sonoridade é familiar para quem ouviu o cd de 2013, havendo inclusive temas que parecem complementar os editados previamente, como se nota pelos sintetizadores de “Euphoria” que remetem imediatamente para “Different People”.

Existem diversas faixas que se destacam e que teriam lugar em Opposites, como é o caso de “Watch” (mesmo tendo em conta a semelhança a “Hard to Concentrate”, dos Red Hot Chili Peppers) ou da psicadélica “A Lonely Crowd”, mas infelizmente elas não abundam.

O que existe em abundância é o esperado de uma colectânea deste género, em que a maioria das músicas apresenta ideias interessantes, mas que por acabarem descartadas do álbum soam incompletas ou repetitivas, como as mal-aproveitadas “Milky” ou a emotiva “Break a Butterfly On a Wheel”, sendo que a meio do registo se observa mesmo uma banalização com a sequência de “City of Dreadful Night”, “Sorry and Thanks” e “A Tragic World Record” que quebram o ritmo do cd e confirmam letras surpreendentemente imaturas e inconsequentes para o nível habitual de Simon Neill, “patrão” da banda.

A única faixa realmente nova, a final “Children’s Limbs”, não inova a fórmula que os escoceses popularizaram em Opposites, mas também não envergonha e soa mais completa que as suas companheiras, com os seus teclados irrequietos e refrão dominante a soarem a fórmula vencedora.

Assim sendo, Similarities é uma oportunidade interessante para os fãs da banda poderem reunir num só cd as faixas que quase entraram em Opposites, mas no final a qualidade global não ultrapassa o razoável e parece mais uma manobra para capitalizar o cada vez mais avassalador sucesso da banda escocesa.