free website stats program

Cancer Bats – Searching For Zero

Desde 2006 que os canadianos Cancer Bats têm vindo a entregar o seu Hardcore Punk sem fronteiras e com muitas misturas, desde o Heavy Metal clássico ao emergente (na altura) Sludge ou o Groove a “transpirar” masculinidade e Pantera.

Agora, ao seu quinto álbum, o grupo mantém-se no seu estilo habitual, mas entrega o seu disco mais brutal e negro até à data, alimentado pela morte de várias pessoas queridas aos músicos no processo, que é também o mais completo e maduro registo da sua já considerável carreira.

Como se pode ver pela faixa de abertura e single “Satellites”, o ecletismo é palavra de ordem, entre coros rasgados, guitarras inflamadas e Punk agressivo, é uma música que incita ao mesmo tempo intensidade, raiva e catarse, sendo facilmente a primeira grande música pesada de 2015 e seguramente uma das que se manterá no topo até ao fim do ano.

Como já foi referido, as influências dos Cancer Bats são variadas e dispersas, como visível nas abertamente Metaleiras “Beelzebub” ou “Dusted”, que “bebem” do canône dos Sabbath, intercaladas pela curta mas eficaz “All Hail” que é Punk sem limites, ou pela sludgy “Cursed With a Conscience”.

Com o vocalista Liam Cormier em grande forma nas vozes, é na lírica que a banda se mostra mais negra e reflexiva, como em “Arsenic in the Year of the Snake”, embora mantenha espaço para as suas manifestações de rebelião e gritos inconsequentes de revolta, que resultam nas insípidas “Devil’s Blood” e “No More Bullshit”, que deixa a desejar como faixa final.

Desta forma, Searching For Zero é o esforço mais maduro e negro dos Cancer Bats até agora, alimentado por fantasmas durante a gravação e que combina as suas influências de forma explosiva e catártica, exceptuando alguns momentos mais banais.