free website stats program

Girls Names [Porto, Hard Club]

A sala 2 do Hard Club recebeu uma noite psicadélica que merecia uma arena mais cheia e um público menos envergonhado. Os The Japanese Girl começaram a noite com “Progress”, música do álbum a ser editado entre o final deste ano e o início de 2015. A mostra audiovisual continuou com “Nuclear Backyard”, já numa sala mais composta e com um público aliciado pelos acordes iniciais. O concerto passou então para um tema mais conhecido dos presentes, “You ShouldHave Switches” do trabalho editado em Janeiro. Os novos temas mostraram uma maturidade bem maior que aquela que os dois concertos que os músicos traziam às costas faziam adivinhar, quando entraram no HardClub com “Gonna SmokeWith Sadhu”, “Trouble Girl” e “The Amphetamine Beatnik”. Antes de acabarem com mais uma música do novo trabalho intitulada “Amplify your Mind”, tiveram tempo para “A TeaWithTwiggy Kasumi” e “Stop the Clock” que fizeram as delícias do público que se mostrou familiarizado com o trabalho da banda portuense de neo-psych.


Foi então tempo para o primeiro concerto dos Girls Names no Porto. A banda de Belfast começou por tocar músicas com as quais o público estava menos familiarizado, em grande parte porque (ainda?) não foram editadas num álbum, como “Artificial Spring”. Deixando de lado as apresentações, seguiram pelo seu último trabalho, The New Life, editado em Fevereiro do ano passado. “Second Skin” foi a primeira mostra deste álbum que acabou completamente com a distância física entre público e artistas, uma vez que em termos psicológicos toda a sala pareceu compenetrada desde o início. Pode-se dizer que The New Life marcou o leitmotiv para o concerto, apenas contrariado por temas mais recentes como “Zero Triptych” que pareceram ser o típico exemplo de “primeiro estranha-se depois entranha-se” para agrado da banda britânica. Pelo meio de muitos agradecimentos, palmas e um encore, o concerto acabou com “The New Life”, o tema que dá nome ao álbum.


Texto: João Pedreda | Fotografia: João Fitas

Agradecimentos: MIMO | Ilha dos Flamingos