free website stats program

Hills Have Eyes [Plano B, Porto]

Com ‘Strangers’ ainda na bagagem, os Hills Have Eyes subiram novamente ao Porto para mais uma apresentação do seu aclamado registo e não vieram sozinhos.

Forbidden To Fly (não chegamos a tempo da sua actuação), The Idyll’s End e For Godly Sorrow fizeram as honras de abertura.


Já dissemos várias vezes que os The Idyll’s End crescem a olhos vistos e que a energia que colocam em palco é louvável, algo que foi uma vez mais verificável no concerto dos rapazes de São João da Madeira.

‘Paladin’ e ‘Blood Brothers’ continuam a ser os temas merecedores de destaque e os que colocaram uma plateia algo adormecida em movimento.


Em estreia absoluta na cidade do Porto, os lisboetas For Godly Sorrow trouxeram o peso do ep de estreia ‘Black & White’ à invicta, mas o deathcore do colectivo pareceu agradar unicamente a verdadeiros amantes do género e prova disso foi a diminuição de público que se verificou durante a sua actuação.

Ainda que a fórmula precise de algumas afinações, ‘This Is What We Stand For’ e ‘Let Live & Forget’ deixaram boa impressão.


Após vários anos de estrada os Hills Have Eyes são banda de ‘outro campeonato’ e sabem bem demais estar em palco e como agarrar a plateia, algo que se torna mais fácil quando se tem dois álbuns como ‘Strangers’ e ‘Black Book’ e uma base de fãs suficientemente sólida.
Com o ‘sing along’ constante, ouviram-se temas como ‘Hold Your Breath’, ‘Pinpoint’, ‘The Broken’, ‘All At Once’ e ‘21.12.2012’, mas o melhor estava reservado para o fim com ‘Anyway, It’s Gone’ e ‘Strangers’ a provarem ser dois verdadeiros hinos. No final o sentimento era comum, outra positiva prestação do colectivo setubalense no norte, mas que pecou pela curta duração.


Em baixo fica ainda o resumo da noite em vídeo, pela mão de Nuno Fangueiro.


Fotografia e vídeo: Nuno Fangueiro
Texto: Nuno Lobão
Agradecimentos: Oh Damn! Productions