free website stats program

Noites Ritual [Dia 1]

Quase que se esquece que as Noites Ritual são um festival. Trata-se sim, de uma entidade tão profundamente ligada aos portuenses, que desde 1992 encontram, todos os anos, os portões do Palácio de Cristal abertos para espetáculos gratuitos, que se tornou tradição, e como tal, incontornável para o grande público.

O cartaz deste ano contou apenas com quatro bandas, duas por dia, com a banda de abertura a ser uma das vencedoras do concurso Rituais Emergentes, seguida por um dos nomes grandes, encarregues de encher o pavilhão, o qual teria uma lotação limitada pela organização a 5000 pessoas.


A banda a abrir esta primeira noite foram os The Crawlers, banda sediada na Maia, que trouxe um set baseado no seu longa duração de estreia, No rest for the vicious, com um rock rasgado e demonstrando grande entrega em toda a linha, desde o vocalista Francisco Fernandes, até ao guitarrista André Dias e o baixista Rui Ferreira, e que contou com convidados especiais, como David Lobão, d’O Bisonte.


Pela onze e meia, os Blind Zero tomaram o palco com a segurança de quem joga em casa, num pavilhão contudo não completamente lotado. Celebrando o seu vigésimo aniversário, banda encabeçada por Miguel Guedes revisitou a totalidade da sua carreira, desde “Recognize” até “Back to the fire”, passando pela cover de Gloria Jones, “Tainted love”, imortalizado nos anos 80 pelos Soft Cell. A despedida do palco fez-se com bolo de aniversário, perante uma plateia que cruza já várias gerações.


Fotografia e Texto por João Fitas | Agradecimentos: Porto Lazer