free website stats program

O fenómeno do mosh pit estudado por cientistas americanos

Um grupo de cientistas da Universidade de Cornell, em Ítaca, decidiu investigar o fenómeno do mosh pit através de vídeos do YouTube, concluindo que o comportamento dos indivíduos que se concentram no mosh é matematicamente similar ao das moléculas de gás 2D em equilíbrio, tal como acontece dentro de um balão cheio de ar.

O estudo foi feito através da utilização de técnicas especiais para medir o movimento colectivo das multidões de pessoas envolvidas. “Nos mosh pits, os participantes (moshers) formam círculos e movem-se aleatoriamente, colidindo uns com os outros sem direcção. Qualitativamente, este fenómeno assemelha-se ao movimento das partículas gasosas, sendo que os moshers são agentes de auto-propulsão que experienciam colisões dissipativas.”

Os investigadores descobriram então que os moshers, apesar de inicialmente se movimentarem aleatoriamente, acabam por atingir um determinado padrão de movimento (vortex) e, influenciados por uma série de factores, atingem o equilíbrio: “Estes resultados confirmam a analogia entre os mosh pits e os gases. O espírito colectivo da multidão é influenciado pela combinação da música alta e rápida (130 dB, 350 batidas por minuto), sincronizada com luzes brilhantes, e frequente intoxicação”. A distribuição da velocidade dos moshers corresponde, então, à das moléculas do gas 2D em equilíbrio.

Para confirmar as suas descobertas, os cientistas conseguiram simular um mosh pit dentro de um computador, reproduzindo o comportamento dos moshers através do controlo de parâmetros de auto-propulsão, aglomeração e ruído. Através do domínio desses parâmetros, as simulações tornaram-se altamente ordenadas.

Afinal, entre o caos aparente que reina num concerto de Heavy Metal, os moshers conseguem, incrivelmente, encontrar a ordem e o equilíbrio.