free website stats program

RETROSPECTIVAS: Baroness

Apesar de apenas terem pouco mais de dez anos de carreira, os Baroness já conseguiram criar um legado bastante sólido na indústria musical, e que decerto se prolongará durante muitos anos. O grupo de heavy metal americano tem uma carreira curta composta por quatro álbuns e uns quantos EPs.

Todos os seus lançamentos são muito consistentes e apresentam uma qualidade bastante acima da média, sendo difícil destacar um só. Apesar de poder haver gostos que variam, consoante o público e a crítica, a banda conseguiu manter uma estabilidade qualitativa invejável durante os quase 15 anos que têm de actividade. O “Blue Record” pode ser a sua obra-prima e um dos discos que mais se mantém na mente dos fãs.

Apesar de ainda estarem em actividade, e não poderem ser considerados como uma banda de culto, os Baroness merecem destaque em RETROSPECTIVAS pela sua qualidade e garantia de sucesso futuro, ao longo da sua carreira. São um dos ‘porta-bandeiras’ do estilo musical, heavy metal, e uma das provas que ele ainda existe e poderá continuar a existir.

Início de carreira e álbum de estreia

Oficialmente formados em 2003, os Baroness iniciaram a carreira tendo em conta uma vertente musical mais sludge com tonalidade de metal progressivo e trabalhado. Apesar de formados em 2003, só em 2007 é que o público viria a conhecer a qualidade desta banda americana. “First” foi o primeiro trabalho oficial a ser lançado pelo grupo, iniciando o seu gosto para lançar discos com nomes invulgares e muito simplistas. Um ano depois, em 2005, sai para as lojas, “Second” com uma vertente um pouco mais progressiva. “Third” é o último lançamento da banda, na verdade é um split com a banda Unpersons, que demonstra a sua intenção de complicar o arranjo instrumental dos seus discos, compondo uma música com mais de 12 minutos, intitulada “Cavite”, antecipando o que poderia ser ouvido num álbum de estúdio que a banda começou a preparar em 2007.

up-Baroness_1_SKApenas em 2007, e quatro anos após a sua formação, os Baroness lançam um trabalho definitivo das intenções do grupo que se assemelha muito ao demonstrado em “First” e “Second” O álbum de estreia, “Red Album”, inicia um percurso pelas cores que são representativas da alma de cada álbum do grupo americano. O álbum teve uma recepção bastante positiva e iniciou um caminho de sucesso comercial muito respeitável. Após o lançamento deste disco, o grupo começou a particular o palco com bandas como Opeth ou Mastodon, entre outras. A crítica viu neste lançamento um excelente cartão de visita para um grupo que parecia começar a dominar a actualidade do heavy metal e do metal progressivo. “Red Album” inclui uma excelente componente conceptual, apesar de não ter uma narrativa delineada, no entanto tem contém uma temática bastante inteligente que atrai qualquer adepto do metal progressivo. O álbum foi, inclusive, nomeado pela Revolver como o melhor álbum do ano.

Baroness – Red Album (audição na íntegra)

Blue Record e maturidade musical

Talvez esta fase, 2009-2014, seja a melhor da banda, em termos musicais, conseguindo lançar o melhor da sua discografia e demonstrando uma evolução que, até então, não tinha sido demonstrada. “Blue Record” e “Yellow & Green” são dois lançamentos que definem a carreira do grupo americano, o último define a maturidade da banda que se assume como uma das grandes candidatas a estatuto futuro de ícone do heavy metal, metal progressivo.

Baroness_-_Blue_RecordEm 2009, “Blue Record” sai para as lojas e torna-se num dos álbuns mais premiados da curta carreira dos Baroness, tendo sido considerado, pela LA Weekly, o vigésimo melhor álbum de metal da história. Apesar da juventude do grupo, os Baroness têm coleccionado prémios atrás de prémios, solidificando a sua posição na indústria musical. “Blue Record” é uma demonstração disso mesmo, conseguido novamente compor música com um conceito temático com uma narrativa disfarçada.

Consegue ter uma sonoridade bastante característica e muito definida, que quando ouvida é facilmente identificável. O heavy metal domina este álbum por completo, contrastando em certos momentos com o álbum seguinte, lançado em 2012. No entanto, nota-se que a banda tenta solidificar o seu som e posição no heavy metal, para tal lança mais um álbum que segue a sonoridade dos discos anteriores. As grandes faixas são: “The Sweetest Curse”, “Swollen and Halo”, “A Horse Called Golgotha” e “War, Wisdom and Rhyme”, apesar de admitir que todo o disco que complementa muito bem, com os trejeitos conceptuais que apresenta.

Baroness – Blue Record (audição na íntegra)

Baroness-Band-2013Em 2012, sai um dos meus lançamentos preferidos dos últimos anos, “Yellow & Green”, a par com “Blue Record” e “Purple”. Apesar de, este lançamento de 2012, não superar os discos atrás mencionados, denota-se uma maior maturidade por parte da banda, que se preocupa em mostrar uma faceta mais rock progressivo e não tão heavy metal, fugindo um pouco às raízes de sludge que o grupo sempre apresentou. Para além disso, os Baroness deleitam-nos com mais de uma hora de música em dois discos que se complementam na totalidade. O lado “Green” é bem mais ‘ligeiro’ do que o “Yellow”, com faixas mais lentas, algumas ‘baladas’ modernas e um rock mais ‘comercial’ e mais virado para o progressivo. Dos dois teria que preferir o primeiro, “Yellow”, apesar de serem discos irmãos.

Baroness – Yellow & Green (audição na íntegra)

Apesar de musicalmente ter sido uma fase frutífera, para o grupo, pessoalmente, pode ter sido trágico. Um acidente, infelizmente, vitimou a banda em Agosto de 2012. O acidente ocorreu em Inglaterra, mas por sorte do acidente não resultaram mortes, apenas feridos com todos os membros da banda a saírem feridos do acidente que chocou os fãs.

Purple e futuro na indústria musical

Baroness_PurpleApós a saída de dois membros e de um pequeno hiato, a banda regressa ao activo com intenção de gravar um novo álbum. Algumas ’tours’ e meses depois, sai para as lojas o muito bom, “Purple”, que foi muito bem recebido pela crítica profissional, com notas bastante acima do ‘bom’. Musicalmente, é outro lançamento que mostra o talento do grupo, desta vez, misturando o rock progressivo, o sludge metal e o heavy metal com componentes melódicos que enriqueceram o disco de forma substancial.

A “Blue Record” poderá ficar atribuído o prémio de álbum com mais seguidores e que os fãs mais gostam, no entanto “Purple” consegue ser o disco consistente deles todos, combinando diversos géneros, desde a raiz da banda até o rock progressivo, estilo que tem sido cada vez mais adoptado pela banda. Essa mudança demonstra a maturidade da banda, iniciada na fase anterior, e a consequente melhoria qualitativa que o grupo tem conseguido obter ao longo dos anos.

Baroness – Purple (audição na íntegra)

Ninguém pode prever o futuro, no entanto muito fruto da juventude do grupo, que contrasta com a estranha maturidade musical que foram obtendo, é expectável que o futuro seja risonho para os americanos. Os Baroness têm surpreendido e têm todas as condições para o continuar a fazer.