free website stats program

Sirenia [Agosto 2013]

Os noruegueses Sirenia, lançaram o novo álbum, Perils of the Deep Blue, no passado mês de junho, via Nuclear Blast. Produzido pelo líder da banda, Morten Veland, este disco granjeou o afeto dos fãs e o reconhecimento da crítica. A Rock n’Heavy teve recentemente o prazer de entrevistar a vocalista da banda, Ailyn, que graciosamente nos conduziu à descoberta do novo álbum, enquanto nos revelava mais sobre a diva que dá voz ao canto das sereias em Perils of the Deep Blue. Hoje partilhamos essa entrevista com os nossos leitores.

Gostaria de expressar a minha gratidão por esta oportunidade de entrevista para a Rock n’Heavy.
Tudo bem, obrigado por empenhares o teu tempo a fazer esta entrevista

Tenho conhecimento que, recentemente, foste submetida a uma intervenção médica. Pelo que sei o problema era algo delicado, visto que estava relacionado com a tua visão. Como te sentes actualmente? Está tudo bem agora, espero eu.
Sim, no passado mês de junho tive que ser hospitalizada para que fosse realizada uma cirurgia ao meu olho direito… Ultimamente tive alguns problemas resultantes da minha diabetes e eles tiveram repercussões nos meus olhos. Estou a recuperar, no entanto ainda tenho que ser vista frequentemente pelo meu médico, porque tenho que ser submetida a um tratamento laser em ambos os olhos de forma a evitar o risco de cegueira. Mas o meu médico está confiante e acha que no fim com muito descanso tudo vai acabar bem… Bem, é isso que estou a fazer neste momento de forma a estar preparada para os concertos que se avizinham :). Obrigado pelo cuidado em perguntares 🙂

Olhando para o teu passado, gostaria de te colocar uma questão relativa ao teu percurso musical. Se não me engano tu tiveste uma formação clássica, mas o teu estilo é agora muito mais descontraído, logo não estamos à espera que assumas um registo operático. Assim sendo, que nos podes dizer acerca do teu estilo vocal em Perils Of The Deep Blue?
Quando eu tinha 15 anos, comecei a ter lições de canto numa escola clássica, mas por motivos pessoais, um ano depois, tive que abandonar essa escola, por isso foi apenas durante um período muito curto… Não sou uma cantora de ópera, mas desde muito nova que gosto de cantar num estilo semi-operático ;). Recordo que na primeira audição para os SIRENIA tive que cantar alguns dos novos temas da banda (naquela altura para o álbum “The 13th Floor”) e ao fazer isso cantei algunas partes num estilo semi-operático :). Mas naquela altura, Morten tinha uma ideia diferente acerca do caminho que ele queria seguir com a sua banda. No nosso novo álbum sabíamos que os SIRENIA precisavam de uma mudança, logo decidimos que tentaríamos introducir algunas partes semi-operáticas no meu estilo “normal” de canto… No ano passado entrei para um coro clásico aquí na Noruega, para melhorar ao nível desse registo.

Ao ouvir Perils Of The Deep Blue sente-se que os SIRENIA estabeleceram um novo marco na sua carreira musical. Este álbum exibe uma identidade bem definida e uma envolvência conceptual bem definida. Além disso, o disco soa mais forte que trabalhos anteriores. Estou certo? O que procurava a banda atingir com este lançamento?
Sim, concordo :). Para este álbum queríamos uma nova sonoridade… Obviamente, quando ouves o álbum ainda sabes que estás a ouvir SIRENIA, o estilo não está assim tão diferente, no entanto, podes ouvir que há muitos elementos novos. Queríamos continuar a ser os SIRENIA mas com um som renovado e mais poderoso.

Na semana de lançamento, Perils Of The Deep Blue alcançou o número 20 no Top New Artist da Billboard e a posição 97 na tabela Billboard Hard Music. Além disso, os SIRENIA conseguiram bons registos de vendas na Europa. Estas são boas notícias para a banda, como encaram estes resultados positivos?
Achamos fantástico! Não temos palavras para descrever o quanto estamos felizes e gratos a todos os nossos fãs pela boa receção que o álbum está a ter. Também tivemos oportunidade de ler algumas análises e normalmente todos estão satisfeitos com o álbum, assim sendo isto é simplesmente fantástico!!!

Ailyn, este é o teu terceiro álbum com os Sirenia, Como analisas a evolução do teu desempenho ao longo dos tempos e como é que interpretas e das voz às ideias de um génio músico de eleição como Mortan Veland?
Bem, acho que evoluí bastante nestes cinco anos e meio :). Antes de ingressar nos SIRENIA, eu não tinha grande experiência em palco, mas isso muda passo a passo ao longo de todas as nossas atuações ao vivo :). Acontece o mesmo quando estamos no estúdio. Como toda a gente sabe, o Morten é responsável por compor tudo. Enquanto ele faz a sua música, se eu tiver alguma ideia, simplesmente entro em contacto com ele e falamos sobre isso, assim no final ele decide se quer usar essa ideia ou não. Quando tive que gravar os meus vocais, bem, no início eu não tinha qualquer experiência de estúdio, logo para o “The 13th Floor” eu gravei as canções todas seguindo quase sempre a melodia que ele me enviou. Para o “Enigma Of Life” tentei trazer algumas ideias e para o novo álbum, quando o Morten me enviou as letras e as linhas vocais, trabalhei exaustivamente para tentar encaixar essas ideias de forma mais harmoniosa na minha voz, depois quando entramos no estúdio trabalhamos em conjunto nessas ideias.

Nasceste em Barcelona, Espanha, logo partilhas uma herança similar à nossa aqui em Portugal. Os nossos países desempenharam um papel de relevo na conquista dos oceanos e algumas das vossas novas canções homenageiam os feitos heróicos e os perigos que os marinheiros enfrentavam no alto mar (“Seven Widows Weep” é um bom exemplo). Sendo originária de um país com tradição marítima, como te sentes quando cantas acerca dessas aventuras náuticas?
Adoro!!! :). Eu gosto verdadeiramente de cantar temas com letras diversificadas, e nesse em particular temos a história das sereias que matam os marinheiros e das viúvas que choram porque sabem que os maridos vão morrer. Quando estava no estúdio com o Morten, recordo que estávamos a falar acerca desta canção como um possível single e de como seria o vídeo :).

Para as filmagens do vídeo de ‘Seven Widows Weep’ a banda viajou até à Sérvia, novamente, para trabalhar com a equipa Icode. Como foi isso, podes partilhar a experiência connosco?
Foi ótimo! Bem, o Morten e o Jonathan já tinham trabalhado com eles anteriormente, mas para mim e para o Jan Erik foi a primeira vez, e a experiência foi fantástica. Ocupamos um dia com a gravação das nossas partes individuais e assim que terminamos tivemos oportunidade de observar os atores… Acho que toda a gente estava à espera de ver as sereias hehe

Curiosamente, o video para “Seven Widows Weep” mostra marinheiros originários do norte a navegar para sudoeste não numa embarcação Viking, mas a bordo de uma caravela portuguesa, um navio que foi utilizado por Portugal e Espanha. Foi a equipa Icode que idealizou o conceito do vídeo ou a banda também desempenhou um papel nessas escolhas?
Acho que o Morten falou primeiro com o pessoal da Icode Team e comunicou-lhes mais ou menos aquilo que tinha em mente e depois a Icode Team trabalhou no guião. Quando tivemos acesso ao guião achamos a ideia excelente para o nosso novo vídeo 🙂

Se a memória não me falha, os SIRENIA visitaram Barcelos, em Portugal, no ano de 2011, para o GSM FEST. Recordas-te dessa visita? Que memórias guardas de Portugal e dos vossos fãs portugueses? Alguma vez visitaste Portugal fora do trabalho?
Sim, claro que me lembro!!! Todos foram muito simpáticos comigo e eu não conseguia parar de falar. Lamento, mas infelizmente não falo português, mas como deves saber, se portugueses e espanhóis falarem muito devagar é relativamente fácil entendermo-nos, além disso havia muitas pessoas que falavam castelhano :). Infelizmente nunca tive oportunidade de visitar Portugal a não ser por motivos profissionais :(. Mas sempre quis visitar o meu país vizinho, e afortunadamente os SIRENIA deram-me essa oportunidade. Espero que um dia possa visitar o país apenas para férias!

Ainda que 2013 seja um ano dedicado edição e lançamento de Perils Of The Deep Blue, onde podemos encontrar os SIRENIA ao vivo este ano? Será que os SIRENIA vão “desembarcar” nas costas portuguesas num futuro próximo?
Ainda não tenho a certeza… Agora o Morten está a trabalhar na questão das digressões e de momento apenas temos confirmadas uma digressão pela Rússia (novembro) e outra ainda este ano na Austrália (dezembro). Estamos muito felizes e estamos a fazer figas para conseguirmos mais concertos brevemente 🙂

No teu ponto de vista, das novas canções quais serão aquelas que vão funcionar melhor em palco e agradar ao vosso público?
Mmmmm não tenho a certeza, mas diria que “My Destiny Coming To Pass” é uma canção poderosa com uma melodia maravilhosa, por isso talvez essa :).

Qual é o aspecto mais apelativo, quando se faz parte de uma banda como os SIRENIA?
A melhor coisa é mesmo poder cantar e viajar por todo o mundo!!! Acho que isso é algo com que qualquer cantor sonha… E graças aos SIRENIA posso fazê-lo. Adoro cantar e adoro viajar, por isso é simplesmente fantástico!! 🙂

Gostarias de deixar uma mensagem para os nossos leitores e todos os vossos fãs?
Queria deixar um enorme OBRIGADO a todos os fãs por estarem sempre connosco a apoiarem-nos… Obrigado por continuarem a acreditar nos SIRENIA. Esperamos e estamos a fazer figas para que no futuro possamos estar aí convosco muito em breve! 🙂