free website stats program

The National – Trouble Will Find Me

Os The National têm-se tornado num caso raro no mundo da música: desde o lançamento do seu longa-duração Alligator que todos os cd’s dos americanos têm recebido grande aclamação crítica e aumentado a sua base de fãs, abandonando assim o mundo indie que os viu crescer para abraçarem o rock mainstream.

Apesar desta mudança de ares, o vocalista Matt Berninger já confessou sentir-se confortável enquanto representante de um sucesso de massas, o que torna ainda mais fácil a ascensão e continuidade no topo da banda.

É, portanto, neste estado de graça que os encontramos em Trouble Will Find Me, o novo cd, onde os músicos não se preocupam em re-inventar a sua fórmula vencedora, preferindo em vez disso refiná-la, acabando por entregar mais um registo de grande qualidade.

Navegando por entre um mar de influências, desde Leonard Cohen a Lou Reed, passando por The Cure ou toda a pós-punk britânica, os The National conseguem ser mais do que um mero exercício de nostalgia, acabando por conseguir definir o seu som por entre a amálgama de nomes que os influenciam.

“Demons”, o primeiro single, mostra na perfeição a dinâmica da banda, com os músicos a construirem as suas texturas melódicas que Berninger depois completa com o seu reconhecível barítono meio cantado, meio entoado, “despejando” as suas letras melancólicas, invariavelmente sobre amores e desamores.

O single seguinte, “Don’t Swallow the Cap”, numa piscadela de olhos pouco subtil aos Joy Division, é uma das músicas mais bonitas que a banda já compôs, mostrando uma delicadeza extrema, mesmo quando é carregada de sentimento.

A banda, como já foi referido, mostra uma coesão impressionante, criando um cd que, à primeira vista, pode parecer encantador, mas algo despido de apelo, acabando, no entanto, por se afirmar em cada audição como repleto de “ganchos” que nos prendem a praticamente todas as faixas.

Para além disso, os The National mostram-se confortáveis a assumir diversas posturas que favoreçam o seu som, seja através de uma pose mais contida que dê destaque à voz de Berninger (veja-se a beleza indiscutível de “Fireproof” ou da extraordinária “I Need My Girl”), ou optando por uma atitude mais agitada, que permita breves “explosões” sonoras que combinam igualmente bem com a banda (note-se a dançável “Graceless” ou a abertamente rockeira “Sea of Love”, que ainda assim é das faixas menos bem conseguidas do cd).

Tendo mesmo uma variedade considerável de influências, nota-se o amor da banda pelo formato “balada”, que é o que se ajusta melhor à sua transpiração de tristeza e melancolia, como se nota pela lindíssima “Heavenfaced”, ou logo na inicial “I Should Live In Salt”, fantástico exemplo acústico do que a banda melhor consegue.

Desta forma, os The National de Trouble Will Find Me mostram que já não são um segredo bem guardado do indie, sentindo-se confortáveis o suficiente na sua nova pele mainstream para não se tentarem re-inventar em demasia, optando antes por aperfeiçoar aquilo que já antes faziam bem e o resultado, em vésperas de passarem pelo nosso país, é mais uma obra-prima que os afirma como uma das melhores bandas actuais.

Análise de Jorge Martins