free website stats program

Lions Unleashed Tour [Hard Club, Porto]

Após o sucesso da Lions Unleashed Tour organizada pela Hell Xis, a comitiva parte em peso para o Porto. E que peso, Seven Stiches, Switchtense e For The Glory. Ainda se juntam ao cartaz, Grankapo e os convidados, Doink. Com destaque em especial para um membro do publico que ficará na memória dos que lá estiveram, o “Tareco” (espero não estar enganado no nome), metaleiro de calças de fato de treino da adidas, sem t-shirt a maior parte do tempo, sempre a pedir o microfone às bandas para informar que se encontra disponível para andar à porrada, pedindo porrada em geral e mandando umas boas caralh%&/& para todos. O público festejou a presença do “Tareco” e as bandas também com provas de coro e tudo.


Doink ( 1º Parte )

São os Doink, do outro lado da margem, V.N. Gaia, que começam aquecer o ambiente em mais uma noite fria na cidade Invicta. Após um período de inactividade, os Doink regressam aos palcos, mostrando força e vontade em mostrar o seu “hardcore do tipo arruaceiro” (dito pelos próprios). Misturando o hiphop e hardcore, a dupla de vocalistas puxaram pelo público, criando algum caos à frente de palco. Iniciando assim a longa noite que estava prestes a começar.


Seven Stitches ( 2º Parte )

Passava das 22:30, quando entram em palco os Seven Stitches. Uma boa parte da setlist foi para mostrar o álbum de estreia “When the hunter, becomes the hunted”.Temas com potentes riffs, repletos de agressividade. Um bom exemplo são as música “Until You Get Dry” e “Ultimate Devastation”. Um dos pontos altos foi a homenagem às bandas que participam neste Lions Unleashed Tour 2011, tocando dos For The Glory, “Survival of The Fittest”, dos Switchtense “ Infected Blood” e dos Grankapo “Grankapo”. Um mimo para o público de ambos os géneros, que encheu praticamente a sala 2 do Hard Club.


Grankapo ( 3º Parte )

De seguida, é a vez do hardcore mostram a sua força, com os Grankapo, com o disco “The Truth”. O bailarico da circle pit começa com “Sinner of The World” e “Private Hell”. Raramente dando descanso ao público. Os stages dives não param, tal como a setlist com temas para um bom two step. “Left for Dead”, “Man Killing Man” ou “We’ll Never Die” são provas do bom hardcore que os Grankapo fazem.


Switchtense ( 4º Parte )

Os Switchtense deram uma autentica descarga de alta tensão na sala 2. Muitos sing a longs por parte dos fãs, com a participação do Rui (vox em Grankapo) no tema “Into the Words of Caos”. Participações foram algo que não faltou em que todos os vocalistas subiram ao palco cantando com Hugo alguns dos temas da possante setlist. Congas (For The Glory) deu uma ajuda na “I Will Stand Stronger”. E Pica (Seven Stitches) nas malhas “Unbreakable”, State of Resignation” e “Legacy of Hate”. Para finalizar, terminam com a cover dos Pantera “Cowboys from Hell”, em todos (Hugo e publico) cantaram a uma só voz. Sem dúvida o concerto da noite.


For The Glory ( 5º Parte )

Para fechar a noite, é a vez dos For The Glory mostram o que muitos já sabem, hardcore ao mais alto nível. Com um set cheio de força, arrancam com “Armor of Steel” do último disco lançado ano passado “Some Kids Have No Face”. A corrida ao palco para os stages dives foi constante. Mesmo sem o Sérgio na guitarra, FTG mostrou-se sempre com uma atitude positiva, “Won’t Crawl on My Knees” e “Fallen Mask” com o público sempre a cantar. Por entre as músicas, Congas apelava ao apoio das bandas nacionais, e como a noite de hoje em que juntaram bandas de metal e hardcore. Sem atritos entre ambos géneros bem pelo contrário, viu-se união e força num só sentido, apoiar as bandas nacionais. A indicação de casa praticamente cheia é sinal disso mesmo. A terminar tocam a “Survival Of The Fittest” com o público a cantar num bonito coro. E nos segundos finais da música, falha a electricidade ficando o Congas a trautear o riff da guitarra com Cláudio na bateria acompanhar. Um pormenor que tornou ainda mais especial a noite.


Fotografia e texto por Nuno Fangueiro
Organização por HellXis